Weby shortcut
Imagem da escola de veterinaria e zootecnia

Apresentação

Atualizado em 07/06/19 15:44.

No decorrer da década de 90 a Escola de Veterinária promoveu amplo debate com a comunidade técnica e com pesquisadores, da qual resultou o estabelecimento das linhas prioritárias de pesquisa, que foram consolidadas no Iº Programa de Pesquisa da Escola de Veterinária, em 1995 e no Programa de Pós Graduação em Sanidade Animal. Após nova avaliação foram incluídas novas linhas de pesquisas com o objetivo de criar novas áreas de concentração, tornando-se o atual Programa de Pós-graduação em Ciência Animal, com três áreas de concentração – Sanidade Animal, Tecnologia e Higiene de Alimentos, Patologia, Clinica e Cirurgia e Produção Animal. Simultaneamente, a diretoria da EV traçou o plano de capacitação dos professores com o treinamento em nível de doutorado de todos os docentes em um período de 10 anos. A cada ano, pelo menos dois professores eram licenciados para se dedicar a formação no doutorado em universidades nacionais e, em alguns casos, com estágio em instituições internacionais. Em 1997 foi iniciado o curso de doutorado com apoio da Universidade Estadual Paulista Julio de Mesquita Filho Campus de Jaboticabal com o objetivo de capacitar 12 professores da Universidade Federal de Goiás e da Universidade Federal de Uberlândia, no modelo do atual programa DINTER (Doutorado Interinstitucional), hoje considerado uma forma eficiente de treinamento dos professores de instituições de ensino superior e médio sem a licença em massa dos seus docentes. Com o retorno de alguns desses professores, em 1999 foi iniciada a área de concentração em Produção Animal e, posteriormente, com o fortalecimento de outras áreas o Programa de Medicina Veterinária passou a chamar-se Programa de Pós-Graduação em Ciência Animal. Nesse mesmo momento, em 2001, houve a promoção do programa do nível 3 para 4 junto à CAPES, o que permitiu a abertura do nível de doutorado.

Em 2009, a EV propôs a criação do curso de graduação em Zootecnia, atendendo não apenas a demanda por esse curso em Goiás como também aproveitando o incentivo por meio do Programa de Apoio a Planos de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais (Reuni), com o principal objetivo de ampliar o acesso e a permanência na educação superior, por meio do qual foi possível reestruturar alguns dos setores de produção e tornar viável outros, como o setor de Bovinos de Corte, com a construção do Confinamento Experimental. Nesse curso são ofertadas 40 vagas, cuja primeira turma finalizará em 2013. A criação do curso de graduação em Zootecnia induziu a mudança de nome da unidade para Escola de Veterinária e Zootecnia e viabilizou a disponibilização de oito novas vagas para professores doutores, das quais seis já foram preenchidas nas áreas de Metabolismo Animal, Nutrição Animal, Biestatística, Piscicultura, Comportamento e Bem Estar Animal e Criação de Animais de Companhia. Nesse período foi viabilizada a expansão da estrutura física e o Departamento de Produção Animal dispõe de prédios para administração, sala de aulas, sala de professores e alunos de pós-graduação, laboratórios, bem como diversos equipamentos, o que favoreceu a realização de estudos cujos reflexos já podem ser verificados tanto nos sistemas de produção da EVZ quanto de outros parceiros. No decorrer dos últimos 4 anos de funcionamento foi possível ainda consolidar os setores de avicultura, suinocultura, piscicultura, bovinocultura de leite e do campo agrostológico.

A criação do Programa de Pós-Graduação em Zootecnia permitirá o crescimento da área que se mostra em pleno processo de ampliação.

No atual Programa de Pós-Graduação em Ciência Animal, o numero de alunos inscritos no processo seletivo de 2012 para a área de concentração Produção Animal foi de 60 contra 60 das outras duas áreas, mostrando a grande demanda por vagas. Alem do mais, em um balanço do Programa de Pós-Graduação em Ciência Animal até o ano de 2011, verifica-se que de 284 defesas realizadas, 113 foram da área de produção animal, totalizando 40% do total, e no doutorado, foram 36 defesas na área de um total de 96. Somando todos esses fatos, a criação do Programa de Pós-Graduação em Zootecnia se torna iminente, para fortalecer a área na Universidade Federal de Goiás e na região Centro-Oeste, permitir a capacitação profissional de alunos da própria instituição e de outros estudantes do estado e da região, e permitir a incorporação de outros professores que não estavam vinculados ao PPGCA e que tem potencial de produção de pesquisas com aplicação na região e com impacto na economia brasileira.